Palavras de quem foi aprovado em Tribunal

junho 20th, 2019 por Carla Queiroz Pereira

Acordei com a seguinte mensagem no meu Whatsapp, enviada por um ex-cliente aprovado com redação nota 90,0 no TRT-MG, já empossado no cargo de Técnico Judiciário e que voltou a estudar recentemente:

“Carla, eu tô fazendo um curso para o TRT… Vejo que 99% dessa galera que estuda pra Tribunais não tem dimensão da importância da redação; nem da redação, nem da parte geral da prova. A maioria foca só no direito como se resolvesse alguma coisa ir bem em direito, errar 5 de português e tirar 7 na redação”.

Esse ex-aluno e hoje querido amigo sabe muito bem como se preparar para um concurso; ele é uma prova viva de que saber Direito não o levará à nomeação e posse em concursos que cobram um saber quanto à produção de textos. Sua nomeação só veio quando começou a levar a redação a sério. E muito sério!

Veja só a trajetória dele até ser empossado:

“Comecei a estudar em 2012 para os TRT’s; na época, achava que fazer um curso de redação em pdf seria suficiente. Mas não foi o que aconteceu. Com 1 ano de estudo começaram a vir as classificações nas objetivas… A primeira decepção foi em SC, para Oficial de Justiça; fui muito bem nas objetivas e achava que tinha feito uma boa redação. Veio a nota: 75,00. Minha classificação caiu muito, não fui chamado. Continuei estudando, mas ainda sem me dedicar direito à redação; mais uma decepção no TRT-BA. Na prova para Analista Judiciário tirei 80,00 na redação e não foi suficiente. Depois veio a prova de Goiás… Acertei 57 questões em 60; a dissertativa foi uma questão jurídica, mas interpretei de forma incorreta o que a banca estava pedindo e fui muito mal. O tempo passou… resolvi dar um tempo nos estudos. Voltei em 2015, quando te conheci, Carla, e resolvi encarar de verdade a redação. Surgiu o concurso do TRT-MG… Não foi minha melhor prova objetiva e, além disso, o tema da redação foi bem difícil… Mas estávamos treinando muito… eu tinha até escrito nas aulas um tema parecido e que você corrigiu. Tirei 90,00 e fui nomeado! Graças a Deus estou trabalhando no TRT-MG hoje!”