Não existem milagres em matéria de escrita

dezembro 4th, 2017 por Carla Queiroz Pereira

Bom dia, queridos.

Li, na semana passada, diversas dissertações de concurseiros que prestaram o TJ-PE e queriam saber, da minha parte, se caberia algum recurso a fim de conseguirem aumentar a nota e melhorarem a classificação. Sempre busco alguma brecha na correção para poder ter um caminho para a elaboração do recurso, afinal, para pedirmos o aumento da nota, um razoável motivo é necessário.

Das dissertações analisadas, leitor, apenas uma (sim, uma) realmente era passível de recursos.  Confesso que fiquei até meio assustada com o que vi e li nos textos, apesar de já trabalhar com dissertações há mais de 10 anos! Não vou detalhar os problemas linguísticos que encontrei nos textos, mas destacar as conclusões tiradas por mim:

1. MEMORIZAMOS OS ARTIGOS DA CF, DO CÓDIGO CIVIL, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL ETC., MAS DESCONHECEMOS OS PRINCÍPIOS BÁSICOS EM MATÉRIA DE TEXTO;

2. RELEMOS UMA QUESTÃO OBJETIVA INTEIRA ANTES DE MARCAR O “X”, MAS SEQUER VOLTAMOS PARA LER O QUE ESCREVEMOS NA LINHA ANTERIOR;

3. ESTAMOS ATENTOS AO QUE A BANCA PEDIU NA QUESTÃO OBJETIVA, MAS, NA REDAÇÃO, DESPREZAMOS O QUE O EXAMINADOR ESCREVEU E PREFERIMOS ESCREVER ALGO QUE “VEIO NA NOSSA CABEÇA”;

4. CONSEGUIMOS SABER A INTENÇÃO DA BANCA NUMA PROVA DE MARCAR “X” (MESMO QUANDO ELA NÃO DEIXA TUDO BEM CLARO),  MAS NÃO SABEMOS LER O ENUNCIADO DA PROVA DISSERTATIVA; NÃO  EXERCITAMOS LER GUIANDO-NOS PELAS RELAÇÕES DE SENTIDO ENTRE OS PERÍODOS;

5. ATÉ CHEGAMOS À CONCLUSÃO DE QUE ESCREVEMOS UM TEXTO MUITO RUIM, MAS PREFERIMOS FECHAR OS OLHOS PARA ISSO, ACREDITANDO QUE O EXAMINADOR TERÁ COMPAIXÃO, QUE A SORTE ESTARÁ CONOSCO OU QUE DIAS MELHORES VIRÃO;

6. INVESTIMOS TEMPO E DINHEIRO EM NOSSA PREPARAÇÃO PARA AS OBJETIVAS; PARA AS DISSERTAÇÕES SEPARAMOS O QUE SOBRA OU ECONOMIZAMOS AO MÁXIMO FAZENDO AQUELES CURSOS QUE NÃO ENSINAM (QUASE)NADA EM MATÉRIA DE RACIOCÍNIO LINGUÍSTICO;

7. SEPARAMOS UM TEMPO RAZOÁVEL PARA MARCAR O “X” E TEMOS ESPERANÇA DE QUE A DISSERTAÇÃO ESCRITA EM 30 MINUTOS TENHA UMA ÓTIMA NOTA;

8. EM SUMA,  ESTUDAMOS PARA AS PROVAS OBJETIVAS COM DILIGÊNCIA E AFINCO, PORÉM CONTAMOS COM UM MILAGRE NAS PROVAS DISSERTATIVAS.

Já vi milagres acontecerem em provas objetivas (ex: o candidato não sabia nada de raciocínio lógico; das 5 questões que chutou, ele acertou 4), mas, nestes últimos 10 anos, desconheço algum quando o assunto é a escrita de bons ou ótimos textos! Ainda não entendemos que uma boa dissertação não se constitui com a mera soma de frases soltas, declarações não explicadas ou repetições vazias.

Sabemos onde queremos chegar, mas o caminho está sendo percorrido pela metade.