Para quem pensa que os textos motivadores não servem para (quase)nada…

novembro 16th, 2017 por Carla Queiroz Pereira

Vejamos os seguintes textos motivadores (prova do TRT-9ª – Técnico):

Apesar da presunção de veracidade que confere autoridade, interesse e sedução a todas as fotos, a obra que os fotógrafos produzem não constitui uma exceção genérica ao comércio usualmente nebuloso entre arte e verdade. Mesmo quando os fotógrafos estão muito mais preocupados em espelhar a realidade, ainda são assediados por imperativos de gosto e de consciência. [...]

O problema não é que as pessoas se lembrem através das fotografias, mas que se lembrem apenas das fotografias. (SONTAG, Susan. “Na caverna de Platão”, em Sobre a Fotografia, São Paulo, Companhia das Letras, 2008).

O comando da prova foi o seguinte:

A partir do trecho acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema: A imagem como produtora de sentidos na modernidade.

A palavra “imagem” neste tema deve ser interpretada conforme os textos motivadores, afinal o enunciado de uma questão dissertativa deve ser lido como um todo organizado de sentido; ou seja, deve ser lido tendo-se em mente que o sentido de uma parte depende das demais com que se relaciona. Sendo assim, o primeiro passo é descobrir o sentido de “imagem” no contexto em que ela aparece.

Ora, os textos motivadores tratam da questão da verdade na produção de imagens fotográficas, dos fatores que atravessam a produção de uma imagem etc. O tema, por sua vez, afirma que as imagens produzem sentidos, significados, ou seja, nos induzem a pensar algo, a formar uma opinião sobre algo, a construir um sentido a respeito. Se olharmos ao nosso redor, perceberemos que a mídia está repleta de exemplos em que as imagens produzem sentidos, seja no contexto da imprensa, das propagandas, das telenovelas etc.

Portanto, candidato, não atribua um sentido que não é aquele atribuído pela leitura dos textos motivadores juntamente com o tema.  Ler e interpretar o tema é crucial para a escrita de um bom texto dissertativo; sem isso o candidato acaba tangenciando o tema ou fugindo dele, tal como se lê na introdução da dissertação a seguir (INADEQUADA):

“É percebido que, na contemporaneidade, o homem preocupa-se bastante com sua imagem. Entretanto, tal preocupação excessiva é prejudicial ao indivíduo”.

Por que está inadequada essa introdução? Porque o sentido de “imagem” nela exposto já mudou, contrariando o sentido dado pela banca.