TRT-SC/FGV: Provas discursivas merecem ATENÇÃO!

junho 27th, 2017 por Carla Queiroz Pereira

Em concursos altamente concorridos, como certamente será também o do TRT-SC, sabemos que o diferencial para uma boa classificação está na prova escrita, seja ela uma redação ou uma discursiva jurídica (questão ou estudo de caso). E desta vez a banca caprichou na exigência. Conforme o item 10.2 do presente edital referente ao concurso do TRT-SC, “para os cargos de Analista Judiciário, a Prova Escrita Discursiva será composta por 3 (três) questões discursivas e abrangerá o conteúdo específico do cargo”.

Alguns candidatos ficam contentes com o fato de não ser redação, pois consideram mais fácil esse tipo de prova, afinal já estudam conteúdo jurídico para as objetivas. E não são poucos os que pensam isto: “se já consigo ir bem nas objetivas jurídicas, também conseguirei escrever as questões técnicas”. CUIDADO!

De fato, sem o conhecimento de Direito não se escreve o tema mais “tranquilo” dessa área; ou seja, não adianta ter conhecimento sobre produção de um bom texto se não há conhecimento do conteúdo jurídico abordado no enunciado.

Por outro lado, isso não é suficiente! Tenho atendido muitas pessoas que, embora tenham o saber técnico, jurídico, não conseguem fazer tal conhecimento aparecer nos textos com a precisão exigida pela banca. Logo, vão aqui algumas orientações:

1. Teste sua memória sempre: escreva quantos temas diferentes você puder; escrevendo você realmente saberá quais conteúdos, de fato, memorizou, quais ainda faltam memorizar e quais você pensava já ter na ponta da língua;

2. Quando a banca apenas pedir para discorrer sobre determinado conteúdo jurídico, destrinche bem a lei – no caso de uma pergunta cuja resposta esteja na lei – ou parte da doutrina e jurisprudência – caso seja uma questão mais doutrinária; havendo súmula a respeito do conteúdo/enunciado, não deixe de colocá-la!

3. Saiba isto: conhecer a gramática para marcar X, na hora da prova objetiva de português, não representa qualquer garantia de uma escrita gramaticalmente correta na prova discursiva, algo que os linguistas e educadores estão cansados de repetir; escrever se aprende escrevendo e tendo bons leitores/interlocutores/professores;

4. Como no TRT-SC a prova para Analista Judiciário versará sobre assunto específico, experimente, você mesmo, abrir o livro de Direito do Trabalho e Processo do Trabalho e criar temas. Se abrirmos em recursos, por exemplo, veremos um assunto muito importante, qual seja, “princípios recursais no processo trabalhista”. Que tal discorrer sobre? Como na prova de Santa Catarina haverá 3 questões, acredito que essa possa ser uma boa estratégia;

5. Vejo muitas respostas econômicas, sucintas, brevíssimas… Parece que muitos de vocês ficam com medo de escrever, têm medo de errar. Vocês ouvem tantos mitos sobre a escrita por aí… My God!!! Resultado: vocês ficam travados, engessados e com medo! E pior: respondem de forma incompleta o que foi perguntado, o que certamente acarretará perda de pontos na prova. Please, don’t worry!

6. Terá pouco tempo para escrever? Escolha alguns temas para escrever e outros para falar (sim, como se estivesse ministrando uma palestra; assim você treina a memória, a organização e seleção de informações).

7. Está esperando passar sem treinar sua escrita? Não se iluda; não arrisque sua boa classificação.

Abraço. Espero ter podido ajudar.