Qual (não) é o meu lugar?

março 30th, 2017 por Carla Queiroz Pereira

Sempre soube que certos espaços não são para mim…

Meu lugar é o MOVIMENTO…

Num quebra-cabeça, certas peças NUNCA serão encaixadas em determinados espaços, seja em função de suas formas, seja em razão de seus desenhos; uma peça mal encaixada sempre revelará outra peça que está faltando e que deveria ter sido inserida em outro lugar.

Só me vejo em movimento… transitando… pensando… E é este movimento que me faz voltar… voltar…

Voltamos para continuar indo… indo… indo… até que sejamos, lá na frente, impulsionados, talvez, a voltar novamente. O bom é que esta volta nunca é um retorno ao ponto zero! Alívio das tensões.

Se o meu lugar é o movimento, os espaços por onde transito são meras e, muitas vezes, importantes passagens, movimentos. O não lugar é a rigidez, a linearidade, a inércia.