Vivência de mundo: um requisito para a escrita

março 8th, 2016 por Carla Queiroz Pereira
Não se escreve uma redação consistente (com nota 95 ou 100) a partir do NADA, DO VAZIO. Os textos resultam também dos conhecimentos de mundo que temos, de experiências, vivências. Tais vivências podem vir dos livros e artigos que lemos, de filmes assistidos, de viagens feitas, de espetáculos que nos emocionaram, do aprendizado de uma nova língua ou de um instrumento musical, de visitas a exposições e museus etc. Os textos também são fruto da reflexão que constantemente fazemos a respeito de todas essas experiências, bem como da própria ação de escrever sobre.
No último tema cobrado no TRT-MT (cargo de AJAJ), muitos candidatos literalmente se enrolaram no texto sobre MUSEUS! Há, pelo menos, duas causas para isso: a pobre vivência de mundo e o pouco hábito de refletir sobre tudo o que os cerca. Bem, pessoal, em provas do TRT, como sabemos, não basta termos uma boa nota nas objetivas; precisamos também obter uma boa pontuação nas redações (aliás, isso pode nos colocar no topo da lista, mesmo quando nossa nota nas objetivas não tenha sido tão boa).
Por isso, candidato(a), passeie mais, leia mais, viaje mais, pense mais, viva mais!
Um grande abraço a todos!