“Travei”… “Deu branco” !!! – Parte I

fevereiro 25th, 2016 por Carla Queiroz Pereira

Quem já não sentiu, diante de um tema (de prova, geralmente) a ser escrito, que o pouco tempo para desenvolvê-lo, bem como a ansiedade e o nervosismo impediram o pensamento de fluir na “hora H”? Vamos conversar um pouquinho sobre isso… Separei o assunto em alguns tópicos: 1. Fator tempo; 2. Fator psíquico; 3. Fator técnico (habilidade para pensar o tema e escrever). Hoje vou escrever sobre o FATOR TEMPO!

Pessoal, não existem milagres (pelo menos quando o assunto é escrita!); escrever um bom texto dissertativo de 25 a 30 linhas requer tempo, ou seja, no mínimo 50 a 60 minutos, geralmente. Não por acaso é assim. Você gastará tempo para ler, reler e interpretar a proposta da banca; gastará, em seguida, mais bons minutos para selecionar as informações (diversificadas) que serão inseridas no texto (e isso não é fácil); investirá tempo na elaboração da ideia selecionada (isso também é demorado, pois o modo como se escreve dará maior ou menor argumentatividade ao texto, e maior ou menor organização); você ainda verá o relógio passar enquanto reescrever algumas partes, retirar outras, mudar algumas de lugar, corrigir a gramática etc.; por fim, ainda investirá bons minutos na leitura e releitura do texto, sem contar, também, a possibilidade de escrever um rascunho e ter de passá-lo a limpo.

Portanto, não adianta, antes da prova, ter aprendido a pensar variados temas e relacioná-los com os vários outros conhecimentos que já possui se, na “hora H” você negligencia o fator tempo! “Nadou, nadou e morreu na praia”…

Pode ser, obviamente, que o fator sorte esteja a seu favor e que você consiga driblar o tempo, criar excelentes argumentos, apresentar ótimas reflexões, estabelecer brilhantes relações semânticas no texto…

Mas confesso que isso seja bem difícil de acontecer.