Aprendendo a problematizar, refletir criticamente…

setembro 16th, 2013 por Carla Queiroz Pereira

Eu havia mencionado a necessidade de problematizarmos a questão posta no tema, correto? Bem, tal problematização tem estreita relação com a perspectiva adotada no tema, reflexão crítica etc., itens apontados no aspecto “conteúdo” (edital), ao qual são atribuídos 40 pts pela banca FCC em suas provas dissertativas.

Mesmo quando o tema aparenta apresentar algo mais descritivo/informativo (“Causas e efeitos do trabalho informal”, por exemplo), o que se espera do candidato não é a mera apresentação das possíveis causas e efeitos; é necessário discutir o que é trazido como causa e efeito, aplicar a algum contexto, refletir, problematizar.

Para exemplificar, veja um trechinho de um texto cujo tema era “Formação de Centros Urbanos Sustentáveis no século XXI” (TRT-GO – Técnico):

(Esta parte do texto foi escrita após parágrafo que apresentava possíveis medidas sustentáveis, ok!?)

Embora sejam tantas as medidas sustentáveis, sua aplicação não se mostra tão simples. Não é razoável, por exemplo, a criação de ciclovias nas grandes capitais, se não há, concomitantemente, segurança suficiente ao ciclista, já que as ciclovias geralmente estão bem próximas das faixas destinadas aos veículos. Da mesma forma, é inútil pensar em criação de jardins verticais, aproveitando os prédios edificados, se centenas de metros quadrados de pequenos parques cedem espaço para a especulação imobiliária, sem a intervenção direta do Estado“.

Espero ter elucidado um pouco mais sobre o que se espera de um texto dissertativo!