Para quem gosta de surfar e/ou escrever

março 30th, 2011 por Carla Queiroz Pereira

Escrever é como descer numa onda. Você tem que ficar esperando que ela encha, para descer. Você não pode correr na frente da onda. Não pode se atrasar em relação à onda. Você tem que entrar na onda, no momento bom dela. E precisa deixar ela te levar. Sem querer controlar a onda. Porque se você quiser assumir o controle, ela te enrola. (…). Mas você precisa aproveitar aquele turbilhão que vem e canalizar aquilo numa força que te faça chegar lá, sabendo também que não tem garantia nenhuma de que vai chegar (…). Essa é a grande emoção de escrever. Você começa uma descida cega, [sem saber para onde vai]” (Ana Maria Machado, em “Como escrevo?”, Ed. Novera).

Como me arrependo por algumas vezes não ter entrado na onda, no momento bom dela. Eu não permiti que ela simplesmente me levasse. Passou a onda… agora tenho de esperar o próximo turbilhão.

A experiência da escrita que te leva para um lugar desconhecido também foi relatada por Beatrix Potter, um escritora inglesa de livros infantis. 

Escrever as primeiras palavras de uma história tem algo de delicioso. Você nunca sabe aonde exatamente elas vão levar você” (Beatrix Potter – do filme Miss Potter).