Dicas para sua prova dissertativa

janeiro 4th, 2011 por Carla Queiroz Pereira

PROVA DISSERTATIVA: dicas que podem ser preciosas

  

1. Leitura do enunciado: faça uma leitura cuidadosa, grifando as exigências da banca examinadora.

 

2. Cuidado! Muitas vezes a banca não quer que você simplesmente exponha um determinado conteúdo. Ao contrário, ela espera, em alguns casos, que você saiba aplicar bem o conhecimento específico a um problema apresentado. Trata-se de um trabalho mais complexo e refinado. Prepare-se também para esse tipo de exigência!

 

3. Fique atento ao sentido de tudo o que você escrever; guie-se por ele. Não raras vezes, erros gramaticais, inclusive, são evitados por uma leitura em que o candidato está atento ao sentido do texto. CLIQUE EM “more” para ler o restante.

4. Durante a elaboração da introdução, preocupe-se em situar o leitor a respeito do tema central. Isso não significa dizer que a introdução seja um resumo dos tópicos. Não mesmo! O examinador deve ler sua introdução e já ter uma ideia do que você tratará no decorrer do texto, só isso. Já que estamos falando de introdução, ao escrevê-la, use um número de linhas a depender do número máximo que a banca disponibilizou. Se a banca limitou o texto a 30 linhas, no máximo, não é recomendável uma introdução longa. Isso pode prejudicar a qualidade do desenvolvimento.

 

5. Durante a elaboração do desenvolvimento, confira se você está respondendo ao que foi pedido, e se os argumentos estão consistentes. Muitos pontos são perdidos em função de omissão de tópico e argumentação fraca, por exemplo.

 

6. Após escrever os dois primeiros parágrafos relativos ao desenvolvimento, observe o número de linhas já gasto, estimando o que você ainda gastará. Caso o primeiro parágrafo do desenvolvimento tenha ficado extenso, faça isso após sua escrita.

 

7. Cada parágrafo deve ter quantas linhas? Já vi muitos candidatos perderem ponto por abrirem, equivocadamente, um determinado parágrafo durante o desenvolvimento. Justificam a abertura alegando que cada parágrafo deve ter “X” linhas, no máximo, conforme já ouviram de colegas ou até mesmo de cursinhos preparatórios. Cuidado! O que deve motivar a abertura ou não de um novo parágrafo é o sentido do texto, não o número de linhas.

 

8. Sobre o fator tempo, lembre-se: escrever bons textos requer um tempo razoável durante a prova. Não adianta, por exemplo, separar 30 minutinhos e achar que a redação ficará boa, ainda que você tenha domínio do tema proposto. Escrever de forma apressada geralmente resulta em muitas correções por parte da banca.

 

9. Se a prova exigir a escrita de vários textos dissertativos, sugiro (é só uma sugestão) que você escreva em ordem decrescente de pontuação máxima, ou seja, escreva primeiro a dissertação que vale mais pontos.

 

10. Antes da prova, não deixe de reler as redações já elaboradas por você a fim de recordar os diversos conteúdos estudados.

 

11. Após o término do rascunho, volte ao enunciado e releia o que foi pedido pela banca. Vá ao seu texto e confira, parágrafo por parágrafo, se você realmente escreveu o que a banca solicitou.

 

12. Após passar a redação a limpo, faça uma última leitura novamente. É muito importante!

 

13. Qualidade da letra: a letra deve ser legível, não necessariamente bonita. O examinador não deve necessitar fazer qualquer esforço para tentar entender o que você escreveu; ele não deve ter dúvida quanto ao tipo de acento empregado (e sua posição na palavra), letra selecionada, pontuação etc.