Corretor ortográfico: usar ou não usar?

outubro 24th, 2008 por Carla Queiroz Pereira

Para algumas pessoas, ou muitas, o corretor ortográfico do word é uma salvação. Viu um grifo vermelho abaixo de uma palavra escrita, ôps, é hora de verificar a ortografia. Aí, depois de ler as opções dadas pelo corretor, o próximo passo é clicar em “alterar” e pronto. Fácil, não é!? Uns utilizam tanto essa ferramenta que acabam dando demasiada atenção às palavras isoladas, mas ignorando outros aspectos tão importantes do texto. E isso é só o começo.

Os plenamente confiantes no corretor ortográfico também costumam não ver as palavras que deveriam sofrer alterações. O word não grifará, por exemplo, a palavra “conserto” que, na verdade, deveria ter sido escrita como “concerto”; também não grifará “fezes”, que deveria ter sido escrita como “vezes”. Bem, pessoal… nestes casos não há corretor que possa salvar. Também por essa razão, ler todo o texto cuidadosamente é imprescindível. Guiando-nos pelo sentido do texto é que iremos corrigir o não corrigido pelo word (como é o caso de colocar “v” no lugar de “f”, em “fezes”). No caso de palavras como “conserto” e “concerto”, na dúvida, please, consultemos um dicionário. É pelo sentido de cada uma que iremos decidir pela grafia. Hum… estão vendo como uso do dicionário não é coisa do passado! Aliás, buscando uma determinada palavra, acabamos, muitas vezes, aprendendo o sentido e a grafia de outras.

Bom, pessoal, não sou contra o uso do corretor. Claro que não.
O problema é quando depositamos plena confiança nele.