Tem gente que sabe dizer o que quer escrever, mas só consegue dizer; tem gente que escreve para o leitor adivinho; tem aqueles que acham difícil organizar as informações; há ainda os que escrevem, não convencem, e pensam que o texto ficou ótimo; outros tentam impressionar com palavras “difíceis”. É... escrever um bom texto não é fácil. Mas tem gente que aprende a escrever melhor, seja um relatório, projeto, e-mail para tratar de negócios ou um simples bilhete.

Período de “férias”

por Carla Queiroz Pereira em Consultoria em Linguagem Escrita

OI, pessoal!

Entre os dias 21.07 e 30.07 estarei no meu período de descanso. Portanto, e-mails serão respondidos a partir  31.07.

Documentários – sugestões

Muitos clientes me pedem sugestões de documentários. Pois bem… segue uma listinha:

- “Olhos azuis”;

- “Notícias de uma guerra particular”;

- “Muito além do cidadão Kane”;

- “O dia que durou 21 anos”;

- “Trabalho interno” (‘Inside Job’);

- “Os quatro cavaleiros” (Fair Horsemen);

- “A corporação” (Corporation);

- “Food inc.”;

- “Cortina de Fumaça”;

- “O mundo segundo Monsanto”.

 

 

TRT-SC/FGV: Provas discursivas merecem ATENÇÃO!

por Carla Queiroz Pereira em Consultoria em Linguagem Escrita

Em concursos altamente concorridos, como certamente será também o do TRT-SC, sabemos que o diferencial para uma boa classificação está na prova escrita, seja ela uma redação ou uma discursiva jurídica (questão ou estudo de caso). E desta vez a banca caprichou na exigência. Conforme o item 10.2 do presente edital referente ao concurso do TRT-SC, “para os cargos de Analista Judiciário, a Prova Escrita Discursiva será composta por 3 (três) questões discursivas e abrangerá o conteúdo específico do cargo”.

Alguns candidatos ficam contentes com o fato de não ser redação, pois consideram mais fácil esse tipo de prova, afinal já estudam conteúdo jurídico para as objetivas. E não são poucos os que pensam isto: “se já consigo ir bem nas objetivas jurídicas, também conseguirei escrever as questões técnicas”. CUIDADO!

De fato, sem o conhecimento de Direito não se escreve o tema mais “tranquilo” dessa área; ou seja, não adianta ter conhecimento sobre produção de um bom texto se não há conhecimento do conteúdo jurídico abordado no enunciado.

Por outro lado, isso não é suficiente! Tenho atendido muitas pessoas que, embora tenham o saber técnico, jurídico, não conseguem fazer tal conhecimento aparecer nos textos com a precisão exigida pela banca. Logo, vão aqui algumas orientações:

1. Teste sua memória sempre: escreva quantos temas diferentes você puder; escrevendo você realmente saberá quais conteúdos, de fato, memorizou, quais ainda faltam memorizar e quais você pensava já ter na ponta da língua;

2. Quando a banca apenas pedir para discorrer sobre determinado conteúdo jurídico, destrinche bem a lei – no caso de uma pergunta cuja resposta esteja na lei – ou parte da doutrina e jurisprudência – caso seja uma questão mais doutrinária; havendo súmula a respeito do conteúdo/enunciado, não deixe de colocá-la!

3. Saiba isto: conhecer a gramática para marcar X, na hora da prova objetiva de português, não representa qualquer garantia de uma escrita gramaticalmente correta na prova discursiva, algo que os linguistas e educadores estão cansados de repetir; escrever se aprende escrevendo e tendo bons leitores/interlocutores/professores;

4. Como no TRT-SC a prova para Analista Judiciário versará sobre assunto específico, experimente, você mesmo, abrir o livro de Direito do Trabalho e Processo do Trabalho e criar temas. Se abrirmos em recursos, por exemplo, veremos um assunto muito importante, qual seja, “princípios recursais no processo trabalhista”. Que tal discorrer sobre? Como na prova de Santa Catarina haverá 3 questões, acredito que essa possa ser uma boa estratégia;

5. Vejo muitas respostas econômicas, sucintas, brevíssimas… Parece que muitos de vocês ficam com medo de escrever, têm medo de errar. Vocês ouvem tantos mitos sobre a escrita por aí… My God!!! Resultado: vocês ficam travados, engessados e com medo! E pior: respondem de forma incompleta o que foi perguntado, o que certamente acarretará perda de pontos na prova. Please, don’t worry!

6. Terá pouco tempo para escrever? Escolha alguns temas para escrever e outros para falar (sim, como se estivesse ministrando uma palestra; assim você treina a memória, a organização e seleção de informações).

7. Está esperando passar sem treinar sua escrita? Não se iluda; não arrisque sua boa classificação.

Abraço. Espero ter podido ajudar.

Ah, Curitiba…

Não percorri todas as suas secretas e charmosas ruas

Mas saboreei a voz do seu silêncio – SP, quite, please

Quero rir de novo enquanto brincamos no Bosque Alemão, corremos no parque Barigui ou refletimos no alto do Tanguá

Cave Colinas de Pedra, quisera meu cerebelo ter sido um pouco tomado por ti (só um pouco)

Meus olhos estavam abertos para o Museu do Olho (MON), mas a pálpebra do olho do museu não me deixou vê-lo

Ah, Curitiba, quero você de novo! Agora, para ver a sua íris e deixar que seu olho penetre o meu…

E azul era a cor do teu céu nestes dias… Claro, afinal adoro ser surpreendida. Obrigada.

Ler um bom livro…

Ler um bom livro é assim: sentimos que marcamos um encontro com alguém especial. Bate aquela ansiedade… queremos que o dia passe logo até chegar a hora de vê-lo, tocá-lo novamente, saboreá-lo. E, quando, por alguma razão, precisamos deixá-lo e ir embora, fica aquele aperto, o desejo do próximo encontro.

Qual (não) é o meu lugar?

Sempre soube que certos espaços não são para mim…

Meu lugar é o MOVIMENTO…

Num quebra-cabeça, certas peças NUNCA serão encaixadas em determinados espaços, seja em função de suas formas, seja em razão de seus desenhos; uma peça mal encaixada sempre revelará outra peça que está faltando e que deveria ter sido inserida em outro lugar.

Só me vejo em movimento… transitando… pensando… E é este movimento que me faz voltar… voltar…

Voltamos para continuar indo… indo… indo… até que sejamos, lá na frente, impulsionados, talvez, a voltar novamente. O bom é que esta volta nunca é um retorno ao ponto zero! Alívio das tensões.

Se o meu lugar é o movimento, os espaços por onde transito são meras e, muitas vezes, importantes passagens, movimentos. O não lugar é a rigidez, a linearidade, a inércia.

Mestrado: cuidados durante o processo seletivo

Recebo muitos e-mails de pessoas me pedindo orientações sobre os cuidados que devem ter durante o processo seletivo de um mestrado. Portanto, em linhas bem gerais (mas importantes), segue o que respondi hoje mesmo a uma leitora do blog:

O processo seletivo para ingresso no mestrado, incluindo a prova discursiva, tem certas peculiaridades…

O primeiro aspecto que gostaria de destacar é o seguinte: se sua prova for de áreas humanas, saiba bem em “que terreno você está pisando”, ou seja, conheça as vertentes teóricas de base (por exemplo, se vai tentar o mestrado em Educação, conheça as principais teorias da Educação – as clássicas –  e qual a “defendida” pelo instituto no qual você está prestando a prova; se vai prestar na área da Linguística, conheça as principais teorias sobre a concepção de linguagem e a defendida pelo instituto). A meu ver, isso é bem importante. Geralmente sobre esta base você poderá escrever sua dissertação.

O segundo aspecto que gostaria de destacar é a necessidade de você entender o que se espera de um futuro aluno do mestrado: que ele SAIBA REFLETIR SOBRE UMA DADA QUESTÃO, DISCUTIR ALGO, PENSAR! E por isso você pode escrever livremente em uma prova desse tipo, colocando-se, opinando sobre; não se trata de uma mera prova com perguntas fechadas e respostas pré-determinadas.

O terceiro aspecto diz respeito à QUALIDADE DO TEXTO, AO CUIDADO COM A ESCRITA E REVISÃO. Não se trata de mera correção gramatical (indispensável), mas encadeamento de ideias, boas relações de sentido e argumentação de qualidade. Escrever será uma importantíssima atividade que você deverá desempenhar durante todo o mestrado e após ele.

Quarto e último aspecto: se houver entrevista, vá tranquilo(a), com algumas anotações (tópicos) do que você pretende falar (sobre sua vida pregressa, por que seu interesse pelo mestrado, seu projeto de pesquisa etc). Eles querem realmente ter certeza de que você vai tocar o mestrado até o fim e tem condições para isso.

Como também já fiz um mestrado, e olhando para trás, noto que tudo isso foi crucial durante o processo seletivo.

Bem, espero ter podido ajudar!

Beijos a todos os futuros pesquisadores.

Concurseiros que ficaram doentes…

Nunca me esqueço deste caso: LS era um jovem como qualquer outro; passeava, pegava uma praia, tinha tempo para namorar e ficar com amigos e parentes… Até que um dia ele resolveu estudar para concurso; decidiu que prestaria os TRT’s, cargo de Analista Judiciário, área Judiciária (AJAJ). Achou que deveria, para ser aprovado, somente estudar os 7 dias da semana. Já não mais dava a devida atenção para a namorada; não ia correr na praia com o pai, corrida que, segundo o candidato, proporcionava momentos maravilhosos de interação pai-filho; além disso, não mais separava tempo para jogar conversa fora com os amigos, visitar tios ou primos etc. Em menos de 1 ano o assunto se tornou somente um: concurso público! Nada mais importava tanto como estudar direito do trabalho, constitucional, administrativo e todos os outros direitos que conhecemos. E se passaram 2 anos da vida…

LS, auto-confiante e já bem preparado, prestou suas primeiras provas. Apesar de ter ido excelentemente bem nas objetivas, ficando nas primeiras colocações, ainda não havia dado a devida atenção para a redação – pensou, erroneamente, que, como ia bem em português (pelo menos nas provas objetivas), chegaria na prova e conseguiria escrever uma boa dissertação -, passando, assim, a desenvolver sintomas de alguém que já não estava tão bem psicologicamente. LS, com as frustrações normais que um concurseiro geralmente tem, passou a ficar extremamente ansioso, com medo (medo de escrever, medo de fazer o próximo concurso e ter mais frustração, medo de enfrentar os problemas) e, em seguida, deprimido. Já não mais era possível a LS sentar e estudar tranquilamente. Conclusão: teve de deixar tudo, parar com tudo e ir se tratar com um bom psiquiatra e um bom psicólogo. E LS foi se cuidar… dar, agora, ao seu corpo e à mente, a atenção que sempre precisaram.

Após este período de tratamento, LS envia um e-mail me dizendo que queria voltar a estudar e se preparar com afinco e seriedade para a redação. Mas LS estava diferente; afirmou, veementemente, que a vida tinha voltado ao equilíbrio e que não mais deixaria de fazer coisas importantes em prol unicamente dos estudos. Reconheceu que a vida precisava de atenção e cuidados!

Começamos a trabalhar sobre as dissertações, semana após semana, até a próxima prova: TRT-MG (Técnico). Mesmo com certo receio, LS, já saudável novamente, enfrentou o seu gigante e conseguiu dar o melhor de si. De volta à alegria de viver a vida, LS escreveu uma boa dissertação (aliás, escreveu um dos temas mais difíceis que já vi) e ficou em 19º lugar. Conclusão: já tomou posse nesse tribunal!

Queridos, cuidem da saúde, mental e física; observem e respeitem os sinais que o corpo carinhosamente lhes dá.

Se não cuidarmos da saúde, vamos ter de separar tempo depois para cuidar da doença, sem a garantia de que tudo voltará ao normal. LS teve um final feliz, mas que poderia ter sido, sem dúvida, menos traumático, com mais alegria e equilíbrio.

Momentos perdidos não voltam nunca mais…

TRT-MS: Temas novos para você pensar e aperfeiçoar sua escrita

por Carla Queiroz Pereira em Temas de redação

Muitos temas que crio para meus alunos acabo esquecendo de inserir aqui! Mas andei fazendo uma busca e, agora, disponibilizo para todos os leitores do blog!

 

PROPOSTA 01 – A CF/88 dedica um de seus capítulos à proteção dos direitos indígenas. Com base nisso e em seus conhecimentos de mundo, disserte sobre o seguinte tema:

VALORIZAÇÃO DOS ÍNDIOS COMO FORMA DE PRESERVAÇÃO DA CULTURA BRASILEIRA

 

PROPOSTA 02 - A pirâmide que mostra o envelhecimento da população brasileira é preocupante. Segundo estudiosos, o país, futuramente, estará carente de jovens adultos que contribuam para a previdência social. Apesar disso, as empresas continuam preferindo pessoas jovens para ocuparem os postos de trabalho. Considerando este texto como motivador, disserte sobre o seguinte tema:

AMADURECIMENTO DO MERCADO DE TRABALHO NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO

 

PROPOSTA 03 – A mídia tenta, por meio de suas propagandas, mostrar um certo conceito de felicidade. As pessoas em geral também acreditam poder construir uma vida feliz, pautada na obtenção de bens e sucesso profissional. Mas a verdade é que os consultórios psiquiátricos estão cada vez mais lotados. Procura-se tratar o sintoma da angústia sem se olhar para sua causa ou natureza. Com base nisso, escreva sobre o seguinte tema:

FELICIDADE NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

 

PROPOSTA 04 – CULTURA POLÍTICA: PARTICIPAÇÃO CIDADÃ DO JOVEM BRASILEIRO

 

PROPOSTA 05 – A linguagem humana, direta ou indiretamente, seja na forma de símbolos, da fala ou da escrita, permeia nosso pensar (aliás, não há pensamento sem linguagem), nossas interações no mundo e com o outro. Considerando esse texto como motivador, disserte sobre:

O USO DA LINGUAGEM NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

 

PROPOSTA 06: Ao lado da literatura, da dança, da música e de outras formas de arte, o cinema ganhou as telas das grandes salas e as residências. Mas que tipo de cinema se faz hoje em dia? Tem sido arte de fato? Considerando isso, escreva sobre o seguinte tema:

O CINEMA COMO EXPRESSÃO CRÍTICA DA REALIDADE ATUAL

 

PROPOSTA 07 – É sabido de todos a exploração, por madeireiros e agropecuaristas, da Floresta Amazônica. Considerando esse texo e seus conhecimentos de mundo sobre essa questão, disserte sobre o seguinte tema:

INTERESSE ECONÔMICO E PRESERVAÇÃO DA FLORESTA AMAZÔNICA BRASILEIRA

 

PROPOSTA 08 – O Estado do MS é conhecido também por sua extensa área voltada para a produção agrícola brasileira. Embora muitos brasileiros não tenham um pedaço de terra neste vasto território nacional, grandes empresários retiram do solo o que ele tem de melhor e produzem riquezas. Considerando esse texto como motivador, disserte sobre o seguinte tema:

REFORMA AGRÁRIA E O PROBLEMA DA DISTRIBUIÇÃO DE TERRAS NO BRASIL

 

PROPOSTA 09 – Por não raramente resultarem em ações judiciais, muitas pessoas veem os conflitos de interesses como algo negativo do ponto de vista das relações humanas. Com base nesse texto motivador, disserte sobre o seguinte tema:

A IMPORTÂNCIA DO CONFLITO PARA A VIDA EM SOCIEDADE

 

PROPOSTA 10: “Quem não gosta de filosofar?” O emprego da expressão “filosofar”, nesse segmento, pode apenas significar falar sobre algo de maneira descomprometida e baseada no senso comum. Mas a Filosofia é uma ciência. Tomando esse texto meramente como motivador, disserte sobre:

A IMPORTÂNCIA DA FILOSOFIA PARA O CONHECIMENTO E A REFLEXÃO

 

PROPOSTA 11: Não são poucos os poetas brasileiros. Quem não se lembra de Drummond, de Itabira-MG? Considerando isso, disserte sobre:

O USO DA POESIA NO COTIDIANO

 

TRE-SP: 10 tópicos importantes para quem vai escrever uma dissertação!!!

  1. Leitura do enunciado e interpretação do que a banca quer: lembrar dos estilos mais comuns de enunciados e que cada um deles demandará algo do leitor. Em todos os casos, candidato, o SENTIDO do que você está lendo deve ser o seu guia;
  2. Sobre o texto motivador: em enunciados nos quais a banca expõe um texto motivador e o tema destacado em negrito, lembrar que tal texto não está ali para que você retire dele trechos inteiros que possam ser copiados; a banca não vai facilitar a sua vida. O texto motivador é importante sim, conforme vemos em nossas aulas, mas não para isso;
  3. Antes de começar a escrever: levantar perguntas em torno do tema, pois isso ajuda na seleção de informações; relacionar o tema com seus conhecimentos gerais; inserir o tema na realidade do mundo a fim de extrair dessa realidade algo para seu texto. Lembre-se que você pode fazer uso de conhecimentos de Direito, História, Economia, Filosofia etc.
  4. Ao selecionar o que irá escrever: cuidado com a tentação de querer “enfiar” (é isso mesmo), a qualquer preço, conteúdos que, embora bem trabalhados em outras redações (e que você até decorou), não se aplicam ao tema da sua prova. Além disso, não se esqueça de preencher os “vazios” sobre os quais tanto falamos em nossos encontros;
  5. Ainda selecionando conteúdos: diversifique o que irá escrever em cada um dos parágrafos do desenvolvimento; o que foi escrito em um deles não volta a ser escrito no outro. O primeiro do desenvolvimento pode ser mais conceitual, geral, mas o segundo precisa ser mais reflexivo, analítico, crítico, com marcas de opinião; aliás, cuidado com textos descritivos do início ao fim ou com vaguezas e generalizações;
  6. Leitura constante: leia seu texto todo tempo. Escreveu a introdução? Releia toda ela antes de prosseguir. Mudou qualquer coisa em um período? Releia-o por inteiro e revise-o. Vai escrever um novo parágrafo ou período? Releia os anteriores para pensar em como vai construir os seguintes;
  7. Bateu estresse durante a elaboração do texto: nosso cérebro não é uma máquina, graças a Deus; abaixe sua cabeça por 1 minuto e inspire profundamente; saia para beber uma água, coma um carboidrato etc.;
  8. Para quem ainda acredita em modelos prontos, “milagrosos”: ainda há tempo de abandoná-los, afinal modelos engessam sua criatividade e bloqueiam o seu pensar;
  9. Finalizando: ao passar o texto a limpo, atenção ao que está copiando e às eventuais mudanças que fará; lembre-se de que a leitura é constante;
  10. Depois de já ter passado o texto para a versão final: você ainda tem de reler o texto! Viu algum erro e precisa rasurar? Não hesite, rasure! Faça o que for preciso para não entregar seu texto com erros que necessariamente o farão perder preciosos pontos. Um bom examinador vê com bons olhos o zelo do candidato.

DE TODO CORAÇÃO, QUERIDOS, DESEJO UMA EXCELENTE PROVA!!!

Posts Recentes
Comentários Recentes
Quem escreve este blog
Ah, Curitiba…
17 abril 2017
Ler um bom livro…
12 abril 2017
michele: Olá Carla, Li seu artigo sobre as discursivas e concordo com o que você disse, princ...
Isadora Sampaio: Boa tarde professora Carla! Indicaram-me a senhora para fazer recurso de concurso....
Maria Elizabeth dos Santos Conte: Obrigada professora pela dicas excelentes....
Fagno Oliveira: Olá Carla, Encontrei seu blog por acaso pesquisando sobre a estrutura do texto dis...
Rogério Borges: Bom dia prof. Carla. Gostaria de obter informações sobre o seu curso de redação para...
Carla Queiroz Pereira, mestre em Linguística/área Neurolinguística pela Unicamp, presta consultoria em linguagem a profissionais e estudantes, ministra palestras e cursos com temas voltados às questões linguístico-cognitivas e prepara candidatos a concursos públicos para enfrentarem as redações, questões discursivas e questões de interpretação de texto.

carla@aescritanasentrelinhas.com.br